Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Diamantina’

 

uma praia de água doce com cachoeira na temperatura ideal

Uma praia de água doce com cachoeira na temperatura ideal

Foi esse o lugar maravilhoso que  terminei 2012 e comecei 2013. Chama-se Telésforo, e está localizado em Conselheiro Mata/Diamantina, lugarejo tema de muitos posts aqui do blog.

Com a inspiração e energia renovada que o lugar me presenteou, começo o ano cheia de vontade de postar mais aventuras pelas cidades pelas quais passei e passarei, já que eu não estava muito atuante (exatamente 1 ano, que vergonha!!!)

Como ainda estamos em janeiro, dá tempo de desejar um ótimo 2013, com muitas cachoeiras, praias, cultura, amizades novas e sucesso na carreira para ter dinheiro para viajar…hehehe

Read Full Post »

Como prometi no último post, vou contar as aventuras da minha última viagem Diamantina-Conselheiro Mata (CM). Tive que acrescentar no meu trajeto Curvelo, por causa de um imprevisto. Meu irmãozinho quebrou o braço em Conselheiro Mata e fomos parar no pronto-socorro de Curvelo- em Conselheiro não tem hospital, nem posto de saúde, nem nada. Não fomos direto ao hospital de Diamantina porque não sabíamos que ele tinha quebrado o braço. Fomos direto para Rodeador, a cidade mais próxima. O posto de lá não funcionava, aí fomos à segunda cidade mais próxima, Monjolos.  De lá, nos encaminharam para um raio X em Curvelo. Felizmente agora meu irmão está bem, mas vai ficar engessado durante 3 semanas.

Tirando o braço quebrado, a viagem foi boa. Chegamos sexta à noite em Diamantina e nos hospedamos em um hotel pertinho da Rodoviária. O Hotel era até legalzinho e a diária era super barata, pagamos 30 reais por pessoa com direito à café-da- manhã, TV e banho quente em um banheiro super apertado. Depois de deixar as malas em nossos aposentos, fomos tomar uma cervejinha na Baiúca. No sábado teve vesperata e show do Wilson Sideral em Diamantina, mas não fomos.

 

Não foi só o Chaves que foi para acapulco

Não foi só o Chaves que foi para acapulco

 

Eu e Bella em Diamantina

 

 

Minha mochila após percorrer 40km de estrada de terra que liga Diamantina a Conselheiro Mata

 

Não aproveitamos muito o sábado porque o incidente aconteceu nesse dia. Mas, no domingo de manhã, acordamos cedo e aproveitamos as belezas naturais de Conselheiro Mata antes de irmos embora para BH.

 

estrada para a cachoeira

 

Tiburcio e Tiburcia comedno jabuticaba no ônibus

Read Full Post »

Não viajei no feriado do dia 12 de outubro, mas os “deuses da viagem” arranjaram um jeito para eu passar pelo menos uma tarde de domingo em Ouro Preto (vide post anterior). Neste final de semana, mais uma vez eles me ajudaram. Pego a estrada hoje para Diamantina e sábado para Conselheiro Mata com uma amiga, um casal de amigos e a minha fiel mochila usada para viagens rápidas. A ideia dessa viagem surgiu na véspera do feriado em um churrasco de aniversário. Achei que era só papo, mas realmente o pessoal animou e hoje pegaremos o ônibus depois do expediente para percorrer 265,20 KM e passar apenas uma noite em Diamantina.

Quando eu chegar conto sobre a aventura. Hoje eu não vou falar sobre nenhuma cidade. Quem vai falar é um leitor do blog, o Eduardo Rabelo. Ele escreveu sobre a Represa do Broa, um lugar que fica no interior de São Paulo.

“Apesar de não poder viajar sempre que posso, e de não ter feito tantas viagens quanto gostaria, preciso confessar que minha paisagem preferida sempre foi a praia. Sol, mar, água de côco, vôlei de praia, caminhadas… finalizar o dia num quiosque à beira da praia e a noite num lual. Mas, ultimamente, tenho tido a oportunidade de apreciar diariamente outra paisagem que a cada dia me surpreende e me fascina mais: o campo.

No interior de São Paulo, próximo ao pólo turístico dos aventureiros (Brotas), a região entre as cidades de Itirapina e São Carlos, conhecida como região da Represa do Broa, ou Represa do Lobo, reserva a tranquilizante paisagem interiorana campestre, banhada pelas águas da represa.

 

A região é cercada de fazendas, criações de gado, culturas de cana-de-açúcar e eucalipto, e pra onde se olhe é possível avistar paisagens naturais, com as montanhas da região cobertas por plantações ou pela vegetação nativa.

Nem as construções civis do condomínio de chácaras conhecido como Broa, e do condomínio que abriga o Broa Golf Resort e a Vila Pinhal, entre outros, conseguiram abalar a harmonia da paisagem na estrada São Carlos – Itirapina.

A proximidade com a cidade de Brotas, pólo do Eco Turismo no Estado de São Paulo, oferece diversas opções de esportes náuticos e de aventura, como o Rafting, de Níveis I e II em Itirapina, e Níveis III e IV em Brotas; Wakeboard, Esqui, Trekking, Boiacross, Caiaque e Vela. Sem falar do rapel nas Cachoeiras do Saltão e Passa Cinco, ou da escalada no Morro do Cuscuzeiro. Para quem quer vir e não tem onde ficar, a região oferece diversas opções de hospedagem, como hotéis, fazendas, pousadas, casas para alugar e um resort. Além da hospedagem, alguns lugares oferecem treinamento e orientação nos esportes náuticos e de aventura, além de outras opções de atividades, como caminhadas ecológicas e passeios a cavalo.

 

 

E pra quem gosta de curtir a noite, a cerca de 20 km da represa fica a cidade de São Carlos, importante pólo tecnológico e educacional do Estado, que oferece muitas opções de bares, restaurantes, cinema e casas noturnas. Brotas, que fica a 33 km da represa, também oferece ótimas opções de baladas e bares.

 

 

Se você ainda não sabe o que fazer no próximo feriado, venha conhecer a região da Represa do Broa. Garanto que você não vai se arrepender.”

Para maiores informações, acessem: www.broagolfresort.com.br
email: promotor.imola@broagolfresort.com.br

 

 

Conte você também sobre um lugar, uma aventura, uma viagem que te marcou. escreva um e-mail apra caroldiapi@mail.com  ou escreva um comentário no blog.

Te encontro por aí!!!!

Read Full Post »

Cidade do JK e da Chica da Silva, do Carnaval mais famoso de Minas, das Vesperatas, das belas paisagens, ganhou o título de Patrimônio Cultural da Humanidade. Estou falando de Diamantina, a cidade histórica mineira mais atraente, em minha opinião. Já fui para lá em diversas ocasiões diferentes e asseguro que você quase não conhece Diamantina direito quando vai durante o Carnaval (mas você se diverte muito). Também passei por lá integrando o trio Carol, JR e Cueca durante o trabalho para ONG Gemas da Terra- comentei sobre a organização nos outros posts. Para ir em outras comunidades fazer os trabalhos nos telecentros tínhamos que passar por Diamantina para pegar o ônibus.

O JR, o gringo americano, adorou a cidade. Ele falou que lá lembra muito a Europa. Geralmente chegávamos cedo na cidade. Para passar o tempo ficávamos nas mesinhas no meio da rua, próximo à Baiúca tomando chá e esperando algum restaurante abrir para almoçarmos. Uma vez o JR estava na rua 11h horas da manhã parado em frente a um restaurante. Ele chegou para o garçom que estava lá dentro e gritou: – Tenho fome. O garçom respondeu: – E eu tenho comida. Em seguida abriu o restaurante para a gente. Ri de mais, foi muito engraçado o modo como eles falaram.

Nas mesinhas da rua. Ops, não era chá. Mas tenho certeza que não era na parte da manhã.

Na verdade, desde pequena eu passava por Diamantina com meu pai, pois ele sempre ia resolver algumas coisinhas dele por lá. Mas a ocasião que realmente conheci a cidade, incluindo os pontos turísticos, foi quando acompanhei a gravação do programa “Cidade da gente” , da TV Horizonte. Viajei com a equipe porque eu trabalhava na PUC TV no programa Microfonia. Fui fazer uma gravação sobre a Vesperata, evento musical em que o maestro fica no meio da rua regendo e os músicos ficam nas sacadas dos prédios tocando. Como a PUC TV e a TV Horizonte eram no mesmo prédio, peguei uma carona com o pessoal.

Com eles eu conheci a casa do JK, o caminho dos escravos, as igrejas históricas, a gruta do Monte Cristo, o Passadiço, Biribiri – cidade “fantasma” citado no livro O diário de Helena Morley (Companhia das Letras, 1998). Só o Mercado Velho e alguns restaurantes que eu já conhecia. Todos os sábados de manhã tem feirinha no Mercado. Lá você encontra plantas, verduras, doces e artesanatos. Ótimo para comprar lembrancinhas. Lá pagamos um mico básico de andar com toquinha enrolada na cabeça para não estragar a escova que fizemos para aparecer na TV.

Se você já foi em Diamantina e tem alguma história para contar, manda um e-mail para caroldiapi@gmail.com ou deixe um comentário.

Eu e minha amiga Gabi nas ladeiras de Diamantina.

 

Não tenho fotos dos pontos turísticos da cidade, mas é fácil encontrar pela internet.  Para ter mais informações sobre Diamantina acesse o link do site oficial da cidade.

Read Full Post »

Há pouco tempo encontrei um colega e ele me falou: – Carol, outro dia eu estava no ônibus e uma pessoa estava comentando com outra sobre Conselheiro Mata.  Ele achou o máximo alguém conhecer o lugar. Eu também, pois nós acreditamos que é raro alguém ouvir falar de Conselheiro Mata, a não ser que more na região, é claro.

Conselheiro Mata é um pequeno povoado com cerca de 400 habitantes. Para chegar até lá a pessoa deve gostar de terra. A cidade fica a 50 km de Diamantina/MG, sendo que 40km são de estrada de terra em situação não muito boa, principalmente quando chove. Mas, nem só a terra rodeia a cidade, lá tem muita água, pedra, verde e paisagens lindas.

O meu colega, que citei no início do texto, conheceu Conselheiro Mata na época do Carnaval, juntamente com outros colegas nossos. Eu já conheço lá desde pequena. Para quem quer bagunça no Carnaval, lá não é o lugar certo. Mas para quem quer tranquilidade e bagunça, pode se dar bem. Durante o dia a pessoa fica em Conselheiro e à noite vai para Diamantina, que tem um dos melhores Carnavais de Minas Gerais.

Independente de visitar Conselheiro Mata no Carnaval ou em quaquer outra época, o lugarejo tem vários atrativos naturais. Tirando isso, não tem muita coisa para se fazer, por isso é sempre bom ir com mais alguém, fica bem mais divertido. Outra dica, se for para lá faça compras, pois quase não há comércio nos arredores.


Um dos atrativos principais é a Cachoeira das Fadas- a cahoeira mais perto da cidade e, em minha opinião, uma das mais bonitas. Lá você pode ir ao poção e tomar uma ducha com a queda d’água ou chegar até parte de cima da cachoeira, onde tem várias piscinas naturais. O pessoal da região chama lá de Piscininha (por que será?…rs). Na Cachoeira da Fadas você também pode fazer rappel. A água é um pouquinho gelada, mas depois que você entra e esquece do frio, fica ótima.

A ãgua é gelada, mas vale à pena entrar

Cachoeira das Fadas

Cachoeira das Fadas

Em Conselheiro há outras cachoeiras como a dos Três Desejos, a da Andorinha, a Lama Negra (não sei se esse é o nome correto dela, mas fica dentro de uma fazenda com esse nome). A da Teléforo é uma das mais famosas. É uma espécie de cahoeira com praia de rio. Suas dunas com areias brancas por um instante lembram as praias nordestinas. O pessoal que vai lá geralmente faz um churrasquinho com direito a farofa e uma soneca depois da comilança. Sempre tem também aqueles que gostam de explorar a região e se aventuram em meio a tantas pedras e água.  Acho que essa é a única cachoeira da região que tem que pagar para entrar. As que ficam em propriedades privadas é de bom grado avisar aos proprietários.

Telésforo

Telésforo

Read Full Post »